Corpos Estranhos: o Rio de Janeiro continua lindo e opressor

Projetos
Agosto 2019

“Corpos Estranhos: o Rio de Janeiro continua lindo e opressor” é um projeto de formação e suporte no campo das artes e do ativismo estético-político desenhado para promover a visibilidade, capacitação e auto-representação de jovens artistas em condições de vulnerabilidade, entre elas pessoas trans, não binárias, indígenas e negras. Este projeto foi concebido como uma reação ao assassinato da artista Matheusa Passareli e a partir da nossa permanente indignação diante da violência contra corpos historicamente submetidos a violações de direitos e condições precárias. Durante o mês de agosto de 2019, o espaço da Despina irá funcionar como um centro de convivência e ativação coletiva, com um programa de residências e uma agenda pública que inclui cineclube, diálogos e oficinas.

O Programa de Residências oferece:

  • Ateliê coletivo para 4 artistas que moram na região metropolitana do
    Rio de Janeiro (processo de seleção em curso*)
  • Suporte curatorial (encontros individuais e em grupo)
  • Encontros semanais para acompanhamento de projetos
  • Suporte administrativo e logístico
  • Bolsa de participação no valor de R$1.500 (mil e quinhentos reais) por artista
  • Verba para produção no valor de R$ 500 (quinhentos reais) por artista
  • Mostra final para apresentar os trabalhos e pesquisas desenvolvidos pelxs artistas durante a residência

Após convocatória aberta realizada nos meses de abril de maio, nosso Comitê de Seleção está trabalhando na apuração e análise das inscrições recebidas. O resultado será anunciado no próximo dia 28 de junho.

Este projeto foi concebido pela Despina em colaboração com Gabe Passareli. É financiado através de uma doação organizada por Alexander e Chantal Maljers-van Erven Dorens em homenagem à Matheusa Passareli, que participou em 2017 do projeto Bison Caravan Brasil, coordenado por Chantal.