Despina

Despina é um espaço independente comprometido com o desenvolvimento de plataformas de pesquisa, produção e intercâmbio nos campos da arte e do ativismo cultural.

Em atividade desde janeiro de 2013, constituiu-se como um associação sem fins lucrativos em 2015. O espaço – um edifício histórico de 400 m² localizado no centro do Rio de Janeiro – compreende vários ateliês de arte, onde são executados um programa de residências artísticas, juntamente com uma agenda dinâmica de exposições, oficinas, cursos, conversas, exibições de filmes, entre outras ações.

Os projetos e ações desenvolvidos pela Despina têm como objetivo:

– criar um ambiente dinâmico e propício  para o desenvolvimento e exibição de arte contemporânea, instigando o pensamento crítico
– facilitar a experimentação e a inovação nas práticas artísticas contemporâneas, estimulando o diálogo entre artistas e culturas
– apoiar e fortalecer as conexões entre arte e ativismo
– ampliar o acesso à arte contemporânea, fomentando a participação e visibilidade de agentes historicamente marginalizados
– contribuir para a revitalização urbana e cultural da área onde o espaço está localizado

Despina já realizou projetos colaborativos e de intercâmbio com várias organizações e instituições ao redor do mundo, como a Central Saint Martins – University of the Arts London, Diagonale e Arts Council de Montreal, Fruitmarket Gallery (Edimburgo) e British Council. Despina também é membro da rede de parceiros do Prince Claus Fund.

***

Despina é uma das cidades imaginadas por Ítalo Calvino na sua obra “As Cidades Invisíveis”, publicada originalmente em 1972. Neste livro, o autor italiano descreve uma cidade que se apresenta diferente para quem chega por terra ou pelo mar, sugerindo uma reflexão sobre a contradição e a dualidade do espírito humano, bem como a diversidade de perspectivas que um único objeto pode proporcionar.

***

Galeria de fotos do espaço (navegue pelas setas na horizontal)
(Arte e fotos: Frederico Pellachin)