thumb_eusoulanadelrey

Cine Clube Despina + Ateliês Abertos

Acontece
15.03.2017

Evento cancelado em função dos últimos acontecimentos na cidade do Rio de Janeiro.

Convidamos todxs para uma noite especial de cine clube + ateliês abertos na Despina.

No próximo dia 15 de março, acontece mais uma sessão do Cine Clube Despina com curadoria do CINEMA KUIR, que traz o longa “Eu sou Lana Del Rey”, dirigido por Lucas Ferraço Nassif.  Após a projeção, haverá um debate sobre o filme, com a presença do diretor e do critico de cinema e ator Pedro Pinheiro Neves. Na mesma noite, o artista sueco Haidar Mahdi irá apresentar os trabalhos produzidos durante o período de sua residência no Rio de Janeiro, que contou com o acompanhamento do professor e curador Raphael Fonseca. Os demais ateliês do espaço também estarão abertos para visitação.

CINEMA KUIR apresenta
“Eu sou Lana Del Rey”

Direção: Lucas Ferraço Nassif
Roteiro: Bráulio Cruz
Brasil, 2017, 100′

Lana Del Rey é a estória de amor de um jovem artista. Este é um trabalho no distante, na vulnerabilidade, da relação por telas, por imagem, por sonhos e devaneios, por drogas, por sentimentos de uns e de umas que tocam nos de outros e de outras. Um filme incomum (em sua produção etc.) mas, uma vez que a internet e o Skype estão presentes em nossas vidas quase o tempo todo, não é incomum em nossas vidas: logo, este pode ser um filme comum.

Mesmo no limite abissal do falso e da caricatura excessiva, a um queer ferido é dito que “está tudo bem” e que para ele “só há amor”, como as mães que essas divas pops acabam por se transformar para esses efeminados infantis e sofridos que, nos termos da “normalidade”, têm uma forma muito estranha de amar. No cúmulo da ironia remota e da frieza fantasmática persistente, uma relação se estabelece, um vínculo (mesmo que um pastiche dele) é criado. É preciso que essa forma masoquista e queer de amar não seja ignorada por uma discussão teórica que é, antes de tudo, incapaz de sequer enxergar esse amor como um elemento encenado dentro de uma obra com valor artístico. (Fragmento do ensaio “A improdutividade queer”, de André Antônio). Versão na íntegra por aqui.

 

cine_KUIR_logo

O CINEMA KUIR é um dispositivo aberto e itinerante que traz para reflexão temas que gravitam entre anarquismo e vivências kuir, atrelados à arte, audiovisual e modos de vida e estar junto que escapam às normas vigentes.

 

 

 

 

 

 

 

***

PROGRAMA DE RESIDÊNCIAS DESPINA apresenta:

Ateliês abertos com mostra especial do artista sueco Haidar Mahdi
Haidar vive e trabalha em Estocolmo, Suécia. Graduado em Konstfack, com mestrado na Royal Academy of Fine Arts de Estocolmo. A prática de Haidar traz a marca do seu multiculturalismo (mãe polonesa, pai iraquiano), que se manifesta através de um amplo interesse em uma diversidade de materiais e técnicas, principalmente a argila e a cerâmica. Seus objetos e esculturas zombam do pomposo e do opulento, beirando o kitsch. Reunir materiais “baratos” que imitam objetos reais também tornou-se parte do seu processo. Durante a sua residência na Despina, o artista tem pesquisado novos materiais e novas formas de combiná-los. A residência de Haidar Mahdi na Despina conta com o apoio do fundo internacional para artistas visuais da Iaspis (www.konstnarsnamnden.se) e teve o acompanhamento do professor e curador Raphael Fonseca.

***

SERVIÇO
Cine Clube Despina + Ateliês Abertos 
Quando: 15 de março, quinta-feira, às 19:00
Local: Despina (Rua do Senado, 271 – Centro)
Entrada gratuita

cinekuir_atelies

 

CRÉDITO DA IMAGEM NO TOPO
Still do filme “Eu sou Lana Del Rey”

CRÉDITO DO E-FLYER
Montagem com still do filme “Eu sou Lana Del Rey” +
detalhe da série “Penetráveis XXX”, do artista sueco Haidar Mahdi.