Cartas na Mesa, 2016 (pedra, couro, tecido, plástico, madeira, vidro, glíter, tinta, cortiça, espelho, pandeiro e cartas de tarô vista parcial da instalação durante a performance SPOT, Istambul) Cards on the Table, 2016 (stone, leather, fabric, plastic, wood, glass, glitter, paint, cork ,mirror, tambourine and tarot cards  partial view of the installation during the performance  SPOT, Istanbul)

Ricardo Càstro

Nasceu em São Roque – SP (1972). Vive e trabalha no Rio de Janeiro. Graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Mackenzie (São Paulo, 1995), com especialização em Artes Plásticas pela Fundação Armando Álvares Penteado (São Paulo, 2000). É artista visual, performer e criador da Abravanação – que propõe ao indivíduo a abertura de novos espaços mentais através de experiências com o corpo.

Seu trabalho mais recente, “Cartas na Mesa”, foi apresentado durante as exposições “A Radically Condensed History of Post Industrial Life LADO A/LADO B”, curadoria de Daniela Castro e Zeynep Oz, SPOT (Istambul, 2016);  “Depois do Futuro“, curadoria de Daniela Labra, Parque Lage (Rio de Janeiro, 2016);  “Animism, Shamanism – Diving into Gaia’s Spirit”, curadoria de Charlotte Cosson e Emmanuelle Luciani , Paradise (Marselha, 2015) e para o projeto “Gazua”, Largo das Artes (Rio de Janeiro, 2015).

Em 2014 ganhou o Prêmio FOCO Bradesco ArtRio e realizou, no ano seguinte,  a exposição  “Ajuste Solar“, como resultado da residência artística concedida pelo prêmio, curadoria de Bernardo José de Souza, Despina | Largo das Artes (Rio de Janeiro, 2015). Dentre suas principais exposições individuais estão “Mesa de Centro”, curadoria de Tobi Maier, Estúdio Álvaro Razuk (São Paulo, 2014); “Abravana Nova IorKque“, curadoria de Tim Goossens, TempArtSpace (NY, 2013);  “Transformer”, curadoria de Agnes B., La Friche Belle de Mai, Art-O-Rama (Marselha, 2013); “Transformer”, Galeria Casa Triângulo (São Paulo, 2012); “Very Rick-Passe Lá”, Galeria Casa Triângulo (São Paulo, 2008).

Participou de projetos como Totale 19 – out of shape”, curadoria de Jari Ortwig (Cologne 2016); “AURORA”, curadoria de Tim Goossens, AT&T Performing Arts Center (Dallas, 2015); “A Mão Negativa”, curadoria de Bernardo José de Souza, Parque Lage (Rio de Janeiro, 2015);  “Universidade de Verão”, Capacete (Rio de Janeiro, 2013); “Introdução ao Terceiro Mundo”, da artista Marilá Dardot, MAM (São Paulo, 2011); “Temporada de Projetos do Paço das Artes” (São Paulo, 2010); “Gamerz festival#5”, curadoria de Isabelle Arvers (Aix Provence, 2010); “White Cubicle”, curadoria de Pablo Leon Dela Barra (London, 2008); “Cover”, curadoria de Fernando Oliva, MAM (São Paulo, 2008).

Desde 2006 participa de ações colaborativas, tendo como principais projetos artísticos “The Big Picture”, em parceria com o estilista Dudu Bertholini para o projeto MOVE, curadoria de Cecilia Dean, SESC Belenzinho (São Paulo, 2013); Abravanation X Vomidinglberrys Movement Troup, em parceria com o artista Kenny Scharf para o coletivo avaf, Deitch Projects (NY, 2008); “Stamina” em parceria com a performer Renata Abbade para a artista Agathe Snow,  Bienal de Whitney (NY, 2008); “PASSE A Vida Amando Feroz”, em parceria com a cantora Cibelle  para o coletivo avaf, 28° Bienal de São Paulo (São Paulo, 2008); “Abra Vana Alucinete Fogo”, realizado para o coletivo avaf, Galeria Casa Triangulo (São Paulo, 2006).

Seleção de trabalhos